Como trabalhar em grupo

Os músicos envolvidos num grupo musical devem assumir determinadas responsabilidades e discernir as atitudes que beneficiam ao grupo.  Para isso aqui estão algumas dicas baseadas na experiência que só a prática em grupo oferece.

  1. Respeite a habilidade dos outros: Quando alguma coisa sai errada e você tem vontade de descobrir a causa, cuidado para não julgar o seu colega. É importante respeitar o nível de cada um mesmo que você ache que você é o melhor.  Apenas será possível aprender através de críticas se houver um respeito mútuo entre os participantes.
  1. Não culpe: A maneira mais fácil de não resolver nada é culpar alguém. Principalmente quando culpamos pela falta de técnica ou habilidade.  A melhor maneira de resolver é se perguntar: “o que EU posso melhorar?”, e NUNCA “o que ELE deveria fazer…”.  Faça o seu serviço ao invés de culpar o colega, o problema pode ser você, mas também não fique se culpando, culpa é prepotência.
  1. Experimente algumas ideias antes de decidir: Exige uma escuta cuidadosa, recomendamos gravar o ensaio e depois escutar cuidadosamente as ideias que foram experimentadas em relação à articulação, dinâmicas, andamentos, entre outras.
  1. Aprenda a se expressar verbalmente: Existem pessoas que naturalmente falam mais, e outras que escutam mais. Todos no grupo devem saber se expressar.  Para isso deve haver um equilíbrio, uns devem aprender a escutar e outros a falar.  Pessoas tímidas minam a energia do grupo e pessoas expansivas desmancham o grupo.
  1. Use os termos adequados: Se uma passagem difícil exige uma explicação para a compreensão de todos, use termos musicais adequados. Não invente palavras que só você entende obrigando os outros a adivinhar o que você quer dizer.
  1. Não invente soluções para se livrar de trabalhar: O mundo tem que girar ao redor de você? Não invente soluções para se livrar de estudar uma passagem que é difícil pra você. Como combinar com o grupo de fazer tudo ligado porque você não consegue articular, dizendo a eles que você acha que vai ficar “melhor”. Melhor para quem?  Para a música é que não é.
  1. Aprenda a pedir desculpas: Seja educado, reconheça que errou e peça desculpas. E seja humilde para aceitar as desculpas dos outros.  Isso é sério, não transforme em gozação.
  1. Resolva os problemas básicos antes dos grandes problemas: Ao invés de culpar o aquecimento global, a política externa e o seu sax desafinado pelos seus erros, que tal estudar com o metrônomo e o afinador antes do ensaio?
  1. Esteja preparado para perder: Você não tem razão sempre. Escute com a mente aberta o que os outros dizem.
  1. Não se esforce para criar desentendimento: Entender os outros é um ato de boa vontade. Não crie um clima de mau-humor se colocando numa postura de desentendimento.  Isso é uma atitude infantil.  É melhor pedir para o colega tocar o trecho mais uma vez para que você possa apenas escutar com atenção e entender a música.
  1. Não concorde para agradar. Não discorde para se mostrar: Não confunda gentileza com preguiça.  Se você tem um ponto de vista diferente você deve argumentar de maneira a contribuir para o grupo.  Você não deve dizer que gosta de uma coisa apenas para agradar os outros.  Assim como você não deve criar uma briga por algo que você não concorda.  Aprenda a demonstrar seu ponto de vista de maneira musical.
  1. Não tenha salsa modéstia: Se colocar entre os piores serve muito bem para não precisar se esforçar de verdade, não é mesmo? Afinal, “já que sou ruim mesmo então pra que praticar com vontade?”.  Isso é outra atitude infantil.  Dizer sempre para os outros que você é “humilde” e está “tentando”, que “não sou o melhor, mas um dia chego lá”, é a maneira mais asquerosa de se livrar de suas obrigações e justificar a sua preguiça.  Você deve ser consciente de suas deficiências e trabalhar para saná-las.  Não use a falsa modéstia para se livrar de realmente trabalhar duro nos ensaios.
  1. A música é linda (?): Outra maneira de se livrar de trabalhar duro. Ser surdo esteticamente e se esforçar para se manter assim é uma boa maneira de não perceber a sua mediocridade na interpretação e se livrar da responsabilidade.  Estude arte.
  1. Respeito: Significa considerar os outros antes de você. Não chegue atrasado nos ensaios e nas apresentações.  Não leve os seus problemas pessoais para o ensaio.  Quem disse que seus problemas interessam para os outros?  Discrição é uma virtude.
  1. Você não é o grupo: Você não é o grupo, seu colega não é o grupo. O grupo são todos juntos.  Não toque sozinho quando estiver junto com os outros.  Isso significa respeitar, escutar e interagir.  Você deve aprender a escutar o que os outros estão tocando e tocar para os seus colegas.  Deve aprender a oferecer o seu som para eles, e reconhecer quando eles estão te oferecendo o som deles.  Não seja sovina e egoísta, seja generoso, compartilhe sem medo.
  1. Não leve as discussões para o lado pessoal: Não envolva seus problemas pessoais e frustrações numa discussão musical. Aprenda a focalizar sua visão no problema musical.  Não misture as coisas.  Não se faça extremamente sensível.  Ninguém gosta disso, de gente que “chora por nada”.  Uma posição de ofendido e “na defensiva” é desagradável para todos no grupo.  Seja leve, divirta-se.
  1. Não fique se exibindo: Só porque você toca alguma coisa que ninguém toca, não fique se exibindo nos ensaios. Você não veio ensaiar para se exibir.  Se exibir é fazer gênero para se mostrar diferente e querer tentar se justificar naturalmente superior aos outros.  Se exiba no momento certo: na apresentação.
  1. Toque com coragem: Coragem tem uma dose de loucura. Coragem é enfrentar alguma coisa que você considera ser maior que você.  Não deixe o medo te paralisar.  Enfrente com bravura.
  1. Perfeição: Quem busca a perfeição sem aceitar suas limitações na verdade se distancia da excelência. Busque a excelência, não a perfeição.  A perfeição é a ausência de defeitos e isso é humanamente impossível.  As pessoas que buscam a perfeição encontram uma ilusão perfeita para perdoar seus esforços sem determinação.  Já a excelências é fazer o melhor com os recursos que você puder ter.  Por isso a excelência exige que você melhore todos os dias, e te obriga a obter recursos novos sempre.
  1. Elegância: Toque de maneira elegante. Isso não tem nada a ver com a roupa que você está vestindo.  Ser elegante é não sentir prazer em humilhar o seu próximo.  É elogiar sem precisar mentir.  É não ficar se exibindo e querendo se destacar quando toca.  É ser pontual.  É não fofocar e não usar palavras maliciosas.  É ser caridoso sem obrigação. É saber que a única coisa no mundo que você deve mudar é você mesmo.
  1. Elogie em público, e corrija em particular: É uma prerrogativa dos grandes líderes e dos grandes amigos, afinal, ninguém gosta de ser chamado à atenção diante dos outros, quanto a atitude.  Musicalmente sim, mas pessoalmente não, pois a correção musical pode servir para mais de uma pessoa além daquela que foi observada.

Fonte: ELM – Escola Livre de Música da Unicamp